Ansiedade

A ansiedade é considerada uma reação normal e universal do ser humano, que acontece quando uma situação de perigo se apresenta. Neste contexto, é uma reação benéfica e necessária, pois auxilia e prepara o indivíduo para enfrentar a situação de maneira mais adequada.

 

Pode ser descrita como uma sensação desagradável que, em geral, é acompanhada de um mal estar indefinido e de sentimentos de insegurança, medo, apreensão, nervosismo, bem como da sensação que algo ruim vai acontecer. Soma-se a esse quadro vários sintomas físicos, como mal estar abdominal, dor ou pressão no peito, vertigem, tonturas, palpitações, sudorese excessiva, cefaleia, súbita necessidade de evacuar, inquietação, etc. Apesar das semelhanças, os sintomas físicos e emocionais da ansiedade podem variar de indivíduo para indivíduo. Ou seja, algumas pessoas apresentam apenas sintomas cardiovasculares enquanto outras apresentam apenas sintomas gastrintestinais ou sudorese excessiva.

 

Porém, quando a ansiedade e seus sintomas são muito intensos ou desproporcionais à situação ou evento nos quais não há motivos para isso, comprometendo, inclusive, as atividades cotidianas do indivíduo, a ansiedade é considerada anormal ou patológica. Diferentemente da ansiedade normal, a patológica paralisa o indivíduo, traz prejuízo ao seu bem estar e ao seu desempenho e não permite que ele se prepare e enfrente as situações ameaçadoras.

 

Entre os distúrbios psiquiátricos, os distúrbios de ansiedade são considerados os mais comuns, e são classificados na literatura como ansiedade generalizada, ansiedade induzida por drogas ou problemas médicos, ataque de pânico, distúrbio do pânico, distúrbios fóbicos (agorafobia, fobia social, fobia generalizada etc.), transtorno obsessivo-compulsivo.

 

Em relação ao tratamento, na maioria das vezes, estes envolvem técnicas de relaxamento e/ou exercícios que levam ao controle da atividade do organismo, como meditação e ioga. Em alguns casos, faz-se necessário o uso de medicação, principalmente os antidepressivos e os ansiolíticos. Embora tais Diagnósticos e Tratamentos sejam eficazes, é fundamental a identificação das situações do dia-a-dia que estão desencadeando a ansiedade para que, posteriormente, alguma mudança possa ser realizada; além da prevenção de outras crises e recaídas.

 

Estudos e pesquisas realizados tem revelado que a maioria das pessoas experimenta uma acentuada redução da ansiedade quando lhes é oferecida a oportunidade de discutir suas dificuldades. Neste sentido, a busca por ajuda psicológica pode auxiliar o paciente a ampliar seu campo de visão para que ele perceba as situações de sua vida sob novos ângulos, entenda melhor suas características, potencialidades e limites, utilizando esses conhecimentos adquiridos tanto em benefício de seu crescimento pessoal, quanto na recuperação de seu equilíbrio emocional.

Informativos

Receba notícias, convites de palestras / eventos e mais informações em seu e-mail: