Crise Conjugal

Nem sempre as trajetórias da vida de um casal possibilitam que continuem juntos vivendo bem. Ou seja, na vida de todos os casais há desencontros inevitáveis que, muitas vezes, estão fora do controle e do desejo dos parceiros.

 

Assim, as motivações que levam um casal a recorrer à terapia podem ser diversas, porém assemelham-se no seguinte aspecto que, para simplificar, nomeamos de “crise de casal” ou “crise conjugal”, onde o que prevalece é uma sensação geral de estar perdido e sofrendo.

 

Em outras palavras, a crise conjugal trás para o casal a sensação de não saberem mais para onde ir após anos de relacionamento; de não saberem mais como avaliar no momento o que construíram juntos... Soma-se a isso a mudança dos padrões de comunicação que durante muito tempo regeram o relacionamento do casal, em geral, caracterizada pela inserção de diálogos exasperados, agressivos e hostis além de grande insatisfação e intolerância diante de fatos corriqueiros, como diferença de preferências ou hábitos. Num certo momento, a relação torna-se tão impregnada de incompreensão, os desentendimentos atingem tal ordem que o amor e o sexo parecem não mais ter lugar para existir. A distância entre os parceiros aumenta, um ciclo vicioso se forma, tornando o dia a dia insuportável (ou quase).

 

Para outros casais a problemática pode estar relacionada a situações que fazem parte da existência humana, tais como o nascimento de um filho, a perda de poder aquisitivo, a manifestação de uma doença grave na família, a perda de um ente querido, a infidelidade de um dos parceiros - dentre outros acontecimentos decorrentes do viver - os quais, dependendo do momento que o casal está vivenciando, podem gerar muitas desavenças e levar os parceiros a sentirem-se decepcionados, frustrados, traídos e muitas vezes enraivecidos.

 

Seja qual for o fator desencadeante da crise conjugal, ou mesmo nos casos em que a separação do casal acaba sendo a única opção, a terapia de casal pode auxiliar ambos os parceiros, na medida em que pode ajudá-los a compreender os temores, as fantasias e, principalmente, os sentimentos que estão atrás dos desencontros, das insatisfações e das brigas repetitivas. O momento da terapia pode funcionar como um espaço onde o casal (re)aprende a dialogar e colaborar e, consequentemente, encontrar saídas para situações anteriormente bloqueadas.

 

Informativos

Receba notícias, convites de palestras / eventos e mais informações em seu e-mail: