Medos e Fobias

Medo é uma emoção considerada normal que a maioria das pessoas experimenta diante de algumas situações que, por motivos diversos, causam certo desconforto e inquietação. Raras são as pessoas que nunca se sentiram apreensivas, com dor de cabeça, palpitações, respiração rápida, aperto no peito, diante de situações novas e desconhecidas.

 

Em geral, o medo é acompanhado da ansiedade e ambos fazem parte das mudanças, das novas experiências, enfim, de nosso próprio desenvolvimento pessoal e profissional.

 

Porém, quando ambos se tornam excessivos ou de longa duração diante um determinado acontecimento ou situação, atrapalhando a rotina de uma pessoa, esta pode estar sofrendo de um  distúrbio fóbico.

A fobia é um distúrbio caracterizado por um medo exagerado, persistente e reconhecido pela pessoa como algo pouco razoável. É desencadeada pela presença de um objeto ou antecipação de alguma situação, ambas de caráter específico. Normalmente a fobia é acompanhada de grande ansiedade, pois o indivíduo busca evitar o objeto ou a situação temida.

 

Entre os transtornos fóbicos, as fobias específicas são encontradas com maior prevalência e são aquelas que, segundo alguns estudos, apresentam melhores respostas aos Diagnósticos e Tratamentos.

 

Entre as principais fobias especificas destacam-se aquelas relacionadas à qualquer animal;  relacionadas ao ambiente e a natureza (medo de altura, medo de tempestade); relacionadas a locais abertos ou fechados (claustrofobia)  e a locais com grande concentração/ multidão de pessoas (agorafobia).

 

Outras fobias comuns são de sangue, de águas rasas ou profundas, trovões e tempestades, alturas, elevadores, aviões. A lista de objetos fóbicos, contudo, não é pequena: qualquer objeto, desde que gere na pessoa uma resposta fóbica típica, pode ser considerado um objeto fóbico.

 

Na fobia há uma forte reação contrária ao objeto, sendo o objeto afastado, a ansiedade some. Já nos casos de agorafobia, o medo do indivíduo está associado à dificuldade de sair do local no qual se encontra, caso ela passe mal, o que não acontece na fobia específica.

 

Essa diferenciação é importante porque a fobia específica é considerada um problema isolado e a agorafobia não. Ou seja, a agorafobia, geralmente, precede, vem junto ou vem depois de um quadro depressivo ou de pânico.

 

Informativos

Receba notícias, convites de palestras / eventos e mais informações em seu e-mail: